Luis

Foto: Maurício Neves

18 anos

Filho de: Antônio José Belarmino e Kely Garcia.

Irmão de Jéssica.

Cursou o segundo grau completo.


01-Qual a importância da dança em sua vida?

A dança faz parte de mim desde sempre. Não consigo viver sem.

 

02-Como e quando você descobriu esta paixão?

Desde que eu fiz minha primeira apresentação, aos 9 anos de idade.

 

03-O que você acha de algumas pessoas acharem estranho um rapaz, tão jovem, ser dançarino e professor de dança?

Quando você diz “estranho”, quer dizer preconceito? Se for, acho até normal que algumas pessoas o tenham. Sei que existe, mas sinceramente isso não me incomoda. Não é um problema meu. É um problema de quem tem.

 

04-Em algum momento algum tipo de comentário negativo já te incomodou?

No início sim e como disse antes, agora não mais.

 

05-A Passo acabou de mudar de endereço e passou por ampliação. Quais as modalidades de dança e atividades que vocês oferecem?

Sim, fomos para um novo espaço, maior e mais confortável. Estamos na Rua Modesto Gomes, quase esquina com Avenida Getúlio Vargas. E oferecemos diversas modalidades para todas as idades, como Jazz, Ballet, Hip Hop, Zumba, Dança do Ventre, Baliza e a novidade  é o Stilleto ( que é uma dança usando salto alto).

 

06-Vocês contam com algum tipo de patrocínio público?

Infelizmente não. E gostaríamos muito, até mesmo para oferecer bolsas a jovens que não podem pagar aulas.

 

07-Agora falemos sobre você. Quando o jornal começou, você estava com apenas 3 aninhos. Assim, qual uma lembrança agradável que você tem da infância?

São várias, com minha irmã, minha mãe e meus primos.

 

08-E nos dias atuais, qual seu lazer favorito?

É dançar. Na verdade, a dança para mim é tanto trabalho quanto lazer. Vivo intensamente a dança o tempo todo.

 

09-Qual a sua opinião sobre drogas?

É repugnante! Nunca usei e me preocupo com os usuários. Tenho colegas que usam e fico triste por eles.

 

10-O que você acha que leva tantos jovens a usarem drogas?

Creio que principalmente são as influências (más), vindas de várias formas: amigos, ambiente social e até mesmo do ambiente familiar.

 

11-Você acha que a dança, bem como os esportes podem ajudar os jovens a não entrarem ou até mesmo, a saírem do mundo das drogas?

Sim. Seguramente qualquer atividade de grupo, principalmente de pessoas que buscam coisas boas podem ser favoráveis à prevenção e até ao tratamento dos viciados.

 

12-Você já está preparando o festival anual de sua escola. Já pode adiantar qual  será o tema e algumas novidades para a apresentação?

Verdade. O tema será um “tour” através do mundo. Estamos criando coreografias de vários países. Mas prefiro não dar detalhes agora, para não quebrar a surpresa.

 

13-Você tem alguma outra vocação, ou seja, poderia exercer qual profissão que não a que já exerce?

Nunca pensei sobre isso. Comecei muito cedo na dança e se for para fazer um curso superior, seguramente será na mesma área.

 

14-Quem te conhece percebe que você tem um estilo bem particular de se vestir : bonés, tênis moderníssimos, calças nada tradicionais…enfim: como você escolhe suas roupas?

Eu sempre me visto da forma que me sinto bem. Compro roupas de qualquer estilo e acabo criando o meu. Me inspiro um pouco no ritmo do Hip Hop que é como você citou acima.

 

15-Nas redes sociais você sempre posta frases e pensamentos. Tem algum em especial? Qual?

Tenho sim : “ Abençoado por Deus”

Leave a Reply