Rita de Cássia Araújo Azevedo

Por: Fábio Barbosa

Formação: Pedagogia
Atuação: Setor Educacional

Rita de Cássia Araújo Azevedo nasceu em São Paulo, mas é lagopratense de alma e coração.  Os pais, Antonieta Araújo de Azevedo (saudosa Tieta) e Luiz de Azevedo, são de Itapecerica, e vieram trabalhar e morar em Lagoa da Prata na década de 1970. Criada na cidade, a jovem estudou nos colégios locais e se formou em Pedagogia pela Universidade de Formiga (UNIFOR).

Ao longo da carreira, como pedagoga, se destacou em sala de aula e logo em seguida foi ser coordenadora pedagógica. Teve dois filhos: Gabriel de Azevedo Malta (24 anos) e Maria Clara Azevedo Malta (22 anos). Trabalhando como funcionária do Estado, teve a oportunidade de ser sócia do Instituto Maria Augusta Machado – IMAM, um dos colégios mais conceituados da região. Sem pensar duas vezes, aceitou a proposta e mudou completamente sua vida. “Toda minha vida trabalhei com educação e me identifiquei com a escola, meus filhos estudavam lá e isto foi uma experiência boa”, conta. O primeiro desafio no novo negócio foi ampliar a educação infantil. Em menos de um ano o número de alunos aumentou graças à gestão compartilhada com a sócia. “Foi um acontecimento natural. É realmente o que eu gosto de fazer, trabalhar com a educação e com a nova geração”, revela Rita.

Na administração do colégio foram muitos os momentos inesquecíveis. Mas Rita guarda com saudosismo a expectativa que foi iniciar o negócio e mais tarde ampliá-lo. E acima de tudo, reconhece a ajuda que recebe dos colegas de trabalho. “Fico mais na administração, tenho uma equipe maravilhosa ao meu lado. Pessoas estão comigo o tempo todo. Trabalho com pais sábios e com alunos que cada dia me surpreendem e me ensinam mais”, destaca a pedagoga. “Tivemos muito trabalho, mas nossa essência sempre foi humildade, dignidade, persistência, responsabilidade e comprometimento. É uma soma que nos leva a conquistas e, assim, alcançamos nossos objetivos. Deus em primeiro lugar!”, lembra Rita que se considera uma mulher religiosa.

No campo pessoal, Rita sente-se

 

realizada. Criou os filhos, ajudou os pais e dezenas de alunos ao longo de sua trajetória profissional. “Eu sempre quis fazer um projeto assim e isso deu segmento ao meu projeto de vida. Eu acredito que o caminho é sempre a educação. É um caminho árduo. Não é uma vocação, é uma missão. Sou uma pessoa realizada, mas sempre em busca de desafios”, conta. A pedagoga també

m gosta de viajar e conhecer o mundo. E nessas viagens sempre em busca de novas experiências, ela descobriu lugares incríveis. “Estive em Jerusalém e tivemos uma oportunidade única. Sempre confiei em Deus, e nesta viagem voltei outra pessoa, com outros valores. São coisas que adquirimos que ninguém mais tira da gente”, revela.

Dedicada e empenhada em fazer o melhor sempre, Rita tem afinidade com a superação. “Me proponho a ser uma pessoa que por onde eu passe, deixe uma imagem de carinho, uma imagem boa. Temos de ter segurança no projeto de vida da gente, sempre deixando coisas boas para conseguirmos sermos lembrados no futuro”, salienta a pedagoga, que ainda se considera uma pessoa de sorte por tudo que conseguiu conquistar.

 

Leave a Reply